DESPEJADAS – entre o teatro e a cidade, a questão do gênero

Nós, conhecedoras de nós mesmas

Por: Edna Freire A cada dia dentro dessa pesquisa, buscamos algo que nos façam conhecedoras de si cada vez mais, já que estamos falando da mulher, somos cinco mulheres e um homem, que de fato não sabe o que é ser mulher, mas sempre traz para o processo suas experiências com mulheres (mães, tias, avós […]

Do chão batido ao asfalto

Por: Henrique Gonzaga O processo de pesquisa Despejadas tem aberto portas, que em meio ao turbilhão de coisas do cotidiano, deixamos fechadas. Cada vez mais a pesquisa tem apontado para o íntimo das mulheres, um íntimo que vai do corpo ao viver. Nos conhecer tem sido a parte mais especial desse processo, saber de nós, […]

Estamos aqui e caladas não mais/jamais!!!

Por: Amanda Freire Todos os meses, dias e horas que vão passando me fazem perceber o quão importante e imensurável esse projeto é para mim e certamente para as demais envolvidas. Ler Carolina é como reaprender a viver, reaprender a caminhar e respirar, após nosso encontro maravilhoso com a tutora Adriana Schneider temos nos debruçado […]

Era para ser poesia, e não realidade, era para ser poesia, e não estatística

Processo, encontros, desencontros, confusão são alguns dos disparos e afetos despejados no meu corpo cansado, há tempos calado, morto e estuprado. Quem dera fosse só um corpo, era corpo e não EU, peça ou pedaço e não eu.

A partir da ação cultural do Grupo Nóis de Teatro na periferia de Fortaleza, propõe-se uma pesquisa acerca da interface cidade e gênero. O foco são as narrativas femininas sobre a periferia da cidade como poética desviatória dos discursos hegemônicos sobre a mesma. Interessadas nos estudos de corporeidade e performatividade, e tendo como base o livro Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus, vislumbra-se a investigação das possibilidades do corpo das atrizes e as dramaturgias que surgem no seu contato com os espaços públicos.

ARTISTAS PESQUISADORES

Edna Freire

Edna Freire (DRT 1645/CE) é Diretora teatral com experiências no espetáculo “Olaria”- espetáculo de conclusão da XXII turma de Licenciatura em Teatro pelo Instituto Federal do Ceará, assistente de direção do espetáculo “Quase Nada” e vasta experiência na direção de espetáculos infantis realizadas na periferia de Fortaleza. É atriz fundadora do Grupo Nóis de Teatro, participante há 15 anos. Licencianda em Teatro pelo IFCE. Trabalha desenvolvendo ações culturais no bairro da Granja Portugal, na área de teatro. Atualmente ministra oficina de teatro para crianças, na sede do Grupo Nóis de Teatro, desenvolvendo pesquisa acadêmica sob a orientação do Professor Fernando Leão.

 

 Kelly Enne Saldanha

Mini currículum

 

Amanda Freire

Mini currículum

Nayana Santos 

Mini currículum

Doroteia Ferreira

Mini currículum

Henrique Gonzaga

Mini currículum

Tutora

Adriana Schneider Alcure

Atriz, pesquisadora e diretora de teatro. Professora do Curso de Direção Teatral e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena, da UFRJ. Integrante do Grupo Pedras de Teatro, do Coletivo Bonobando e do Movimento Reage Artista. Mestre em Teatro PPGAC-UNIRIO e Doutora em Antropologia PPGSA/IFCS/UFRJ, com bolsa de sanduíche DAAD/CNPq na FU-Berlin. Realizou Pós-Doutorado no PPGAC-UNIRIO.

Lab. de Artes Visuais

  • 051/Grande Circular
  • Isolamento Compulsório
  • Novas Abordagens Perceptivas do Real
  • Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã, um segundo antes de acordar

Lab. de Audiovisual

  • Ocre
  • Estrada Aberta
  • Tempo de matar cachorro
  • Telma
  • Perdido
  • 7 CAIXAS

Lab. de Dança

  • 233 A, 720 Khalos
  • Afrontamento
  • Afrontamento
  • Corpos Embarcados

Lab. de Música

  • Sila Crvs A.O.A
  • Iracema Som Sistema
  • Ode ao Mar Atlântico
  • Orquestra Popular do Nordeste

Lab. de Teatro

  • Caldeirão de água no deserto – realidades e utopias?.
  • DESPEJADAS
  • Nossos Mortos
  • O retorno a Juberlano