Este mês de junho, demos início a nossa pesquisa com O Teatro de Objetos. Nossa primeira atividade foi a realização de reuniões para planejar e elaborar um cronograma de ações que nortearão nosso percurso investigativo. Essas ações foram sendo pensadas a partir dos eixos que traçamos, a saber: O animador à vista – técnicas e procedimentos; Chico da Silva – poéticas físico/visuais; e Juberlano – o encontro com o mar. Esses eixos serão intercruzados o tempo todo, de modo a conduzir um encadeamento das ações realizadas.

A partir da definição da metodologia de trabalho, onde cada artista apresentou provocações, inquietações e desejos, partimos para a efetivação de nossas ações teórico-práticas. Definimos encontros para as questões relacionadas ao Grupo de Estudos em Teatro de Animação e sentimos a carência de fontes bibliográficas disponíveis para consulta na cidade.

Desse modo, articulamos parceria com a UDESC para envio de exemplares da revista especializada em Teatro de Animação “Móin-móin”. Essa é uma publicação produzida e distribuída gratuitamente pelo Centro de Artes da Universidade, que contém artigos científicos sobre a linguagem, e com o objetivo de difundir e fomentar pesquisas na área. Esse material será muito importante no nosso processo, sobretudo no Grupo de Estudos para nos apresentar questionamentos sobre as fricções do Teatro de Animação com os diversos segmentos artísticos, e possibilitar a construção de referenciais teóricos e práticos.

Foi dentro do Grupo de Estudo que fomos visualizamos conceitos sobre o uso dos Objetos e sua performatividade. O texto que conduziu nossas reflexões foi “A vida dos Objetos na cena contemporânea”, de Alice Cruz. Também assistimos e debatemos os vídeos dos espetáculos “Pulling Strings”, de Eva Meyer, e “Redoma”, de Guilherme Veloso. Esses vídeos nos apontaram distintas perspectivas do trabalho com Objetos em cena. O Grupo de Estudos tem se configurado como lugar de visualizar possibilidades técnicas e estéticas do Teatro de Objetos. E sobretudo, para onde convergem todos os três eixos que traçamos.

Tatiane Sousa

 

 

Lab. de Artes Visuais

  • 051/Grande Circular
  • Isolamento Compulsório
  • Novas Abordagens Perceptivas do Real
  • Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã, um segundo antes de acordar

Lab. de Audiovisual

  • Ocre
  • Estrada Aberta
  • Tempo de matar cachorro
  • Telma
  • Perdido
  • 7 CAIXAS

Lab. de Dança

  • 233 A, 720 Khalos
  • Afrontamento
  • Afrontamento
  • Corpos Embarcados

Lab. de Música

  • Sila Crvs A.O.A
  • Iracema Som Sistema
  • Ode ao Mar Atlântico
  • Orquestra Popular do Nordeste

Lab. de Teatro

  • Caldeirão de água no deserto – realidades e utopias?.
  • DESPEJADAS
  • Nossos Mortos
  • O retorno a Juberlano