pow, pow, pow

Momento de super estouro e parceria junto com coletivos de juventudes da cidade de Fortaleza, nos rendeu um sarau-preto-protesto, que chamamos de AfroSarau!

Com o intuito de propor um espaço que reflita, a partir da cultura/arte e cidadania, sobre a violência e extermínio direcionado as juventudes pretas e moradoras das favelas da cidade de Fortaleza/Ce, a ideia do AfroSarau surgiu a partir do encontro do Afrontamento  com os coletivos: Natora, Aqui tem sinal de vida, Servilost, Mirarte, Bonjaruts, Motim e Balanceará.

Tivemos recitação de poesias, microfone aberto, batalha de raps/rimas e atrações de música, dança e teatro. E entre as iniciativas previstas no AfroSarau, existiu também o estímulo ao empreendedorismo juvenil, através da economia criativa e solidária, além de atividades de prevenção e controle das IST, HIV/Aids, das Hepatites Virais e Redução de Danos.

O momento foi um disparo poético de denúncia e que buscou afrontar e trazer a urgência de pensar o negro na dimensão da cidade. E breve, vai gerar outro AfroSarau em algum ponto da cidade. O AfroSarau foi uma feijoada em que tem seus temperos, aromas e sabores criativos. Não é por mal não, mais ligamos mais quebradas do que google maps!

 

 

Lab. de Artes Visuais

  • 051/Grande Circular
  • Isolamento Compulsório
  • Novas Abordagens Perceptivas do Real
  • Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã, um segundo antes de acordar

Lab. de Audiovisual

  • Ocre
  • Estrada Aberta
  • Tempo de matar cachorro
  • Telma
  • Perdido
  • 7 CAIXAS

Lab. de Dança

  • 233 A, 720 Khalos
  • Afrontamento
  • Afrontamento
  • Corpos Embarcados

Lab. de Música

  • Sila Crvs A.O.A
  • Iracema Som Sistema
  • Ode ao Mar Atlântico
  • Orquestra Popular do Nordeste

Lab. de Teatro

  • Caldeirão de água no deserto – realidades e utopias?.
  • DESPEJADAS
  • Nossos Mortos
  • O retorno a Juberlano