Foto: Allan Diniz

As Navalhas

As navalhas estão abertas sobre o fígado.
Elas acusam o pescoço dos loucos e dos amantes.
As navalhas voam na asa do pássaro perseguido;
cintilam nos olhos do suicida e do náufrago.
As navalhas resvalam na superfície do mar e sob as hastes
das rosas e os pés do defunto estão erguidas e com que
feroz brilho e digno silêncio os devoram.

José Alcides Pinto

Lab. de Artes Visuais

  • 051/Grande Circular
  • Isolamento Compulsório
  • Novas Abordagens Perceptivas do Real
  • Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã, um segundo antes de acordar

Lab. de Audiovisual

  • Ocre
  • Estrada Aberta
  • Tempo de matar cachorro
  • Telma
  • Perdido
  • 7 CAIXAS

Lab. de Dança

  • 233 A, 720 Khalos
  • Afrontamento
  • Afrontamento
  • Corpos Embarcados

Lab. de Música

  • Sila Crvs A.O.A
  • Iracema Som Sistema
  • Ode ao Mar Atlântico
  • Orquestra Popular do Nordeste

Lab. de Teatro

  • Caldeirão de água no deserto – realidades e utopias?.
  • DESPEJADAS
  • Nossos Mortos
  • O retorno a Juberlano